Para ouvir: Deidre & the Dark

 Olá, fios e fias!
Vocês pediram e eu atendi. Agora a tag Para ouvir* voltou para a programação semanal do blog. A indicação musical dessa vez é a Deidre & the Dark. Muita gente já deve ter visto falar dessa banda. Se não viu deixa eu fazer as honras.


Nasceu no Brooklyn e resolveu ir um pouco na contramão do já saturado mercado pop optando por um estilo antiguinho de fazer música. E não é que deu certo?!

 Fator x 
A vocalista, Deidre Muro tem uma voz doce (nada enjoada), as músicas possuem arranjos inspirados nos anos 60 e, por último e não menos importante videoclipes bem produzidos. Selecionei dois clipes da banda. O primeiro da sua música de maior sucesso, lançada em 2012: "Classic girl".



Dicionário fashion I

 O que é vintage, hi-lo, hype? Vira e mexe a mídia especializada em moda usa termos especificos para se referir as coisas que fazem parte do meio fashion. Esses termos, que muitas vezes são estrangeiros ou neologismos criados a partir de outras expressões causam dúvidas sobre seu significado e dificuldade de compreensão dos textos por uma parcela de leitores.


 E porque funciona assim? Porque muitos termos já são bem difundidos mundialmente e boa parte deles não ficariam tão bem "abrasileirados", por causa da escrita e porque a tradução poderia gerar uma referência diferente da desejada. Por outro lado, traduzir os termos referentes ao mundinho fashion seria uma forma de privar o leitor da informação, do conhecimento e da cultura que este irá adquirir. Conhecimento que pode muito bem ser usado para outras leituras, de outros meios de comunicação inclusive. Através da simplificação dos termos, o autor estaria subestimando o seu leitor e respondendo superficialmente a uma questão que ao meu ver carece de uma visão mais globalizada.

O objetivo desse post é comunicar e informar de maneira simples alguns dos termos mais utilizados no mundo fashion. Quem tiver alguma dúvida fique a vontade para falar nos comentários. A resposta incluo na segunda edição!  =D

Vintage: A palavra de origem inglesa indica a safra de um vinho (vint= safra da uva e age= idade). Nos anos 80, veio para a moda como uma referência a roupas de outras épocas que ganharam valor por sua antiguidade, como acontece com o vinho. Você pode achá-las em brechós ou dando uma boa vasculhada no armário da avó.


Dress code: Seria "código de vestir" uma espécie de etiqueta de como se vestir levando em conta a ocasião social.

Hi-lo: É formado pelas palavras inglesas high e low (alto e baixo), é um mix de peças extremamente opostas: caríssimas com superbaratas ou despojadas com outras mais glamurosas. J. Lo e Beyoncé são adeptas deste estilo.

High-tech: Vem de high technology, (alta tecnologia, em inglês) e é usado para roupas com design arrojados e materiais sintéticos. O dry-fit, por exemplo, tecido usado em roupas esportivos, permite que o suor evapore e a peça fique seca rapidamente.

Oversized: A tradução para esta palavra inglesa é "bem grande". O termo é usado para peças com tamanho amplo. Nesta estação, por exemplo, a skinny dá lugar a modelos de calças oversized (pantalona, boyfriend´s pants, cropped). Outras peças, como blusas e bolsas, também podem ganhar esse adjetivo.

Haute couture: É uma palavra que pode ser traduzida literalmente. É uma expressão francesa para se referir a alta costura. 

Prêt-à-porter: Sabe aquela blusa que você tem e sua amiga também? Ela é prêt-à-porter. Do francês "pronto para usar", o termo se refere a uma produção volumosa da mesma peça, o famoso P, M e G. Nos anos 40, a expressão ganhou força nas principais passarelas mundiais.

Streetwear: A moda de rua é esportiva e despojada. Ganhou força nos anos 80, quando o tênis saiu das quadras e foi parar no pé da galera. Uma precursora do estilo é Madonna. Em 1994, ela usou um vestido da Adidas e fez a marca virar um ícone do streetwear.

T-shirt: O termo começa com a letra T para associar justamente ao formato da camiseta. Mais fácil impossivel! 

Pin-up: Durante a Segunda Guerra Mundial, nos anos 40, os soldados se divertiam com fotos de pin-ups girls (garotas penduradas). Elas estampavam os calendários dependurados nas paredes. O estilo era sensual: pernas de fora, peças que marcavam a cintura e decotes generosos. Mas nunca vulgares. Dita Von Teese e Betty page são famosas adeptas do estilo.

Hype: Se está em alta, é hype! Inicialmente usada para supervalorizar uma pessoa ou uma mercadoria, essa palavra inglesa entrou para o vocabulário da moda nos anos 90. Virou sinônimo de algo que está fazendo muito sucesso no momento.

Must have:  Se refere ao "tem que ter". Muito facil!

It: Ter um IT significa ter algo a mais. Uma peça especifica pode ser o IT que faltava no seu look. Uma IT girl é uma garota que se destaca pelo estilo e é copiada por outras meninas. A Kate Moss, por exemplo, é uma IT girl por ter lançado várias tendências, como a da calça skinny e da ankle boot.


 Ao contrário do que diz o aviso de inacessível, os comentários via facebook estão funcionando perfeitamente. Eu mesma testei!  :)

Vamos? Encontro de blogueiras em Salvador

Ao abrir meu feed de notícias do facebook ontem à noite tive uma grata surpresa ao me deparar com um post pra lá de convidativo. Finalmente aconteceria um encontro para blogueiras de Salvador do qual vou poder participar!!

A organização deste encontro é uma realização do Delineado Gatinho blog. Apesar do evento ser em Salvador meninas que não moram aqui mas que estão de passagem pela cidade serão bem-vindas. Ficarei feliz em conhecê-las!


Quando?  27/04 - Sábado às 10hs

Para mais informações sobre o local, confirmação de presença e outras dúvidas, envie um e-mail para: encontrinhosalvador@gmail.com

Quem não puder comparecer não fique triste, quem sabe não rola uma segunda edição?

Ao contrário do aviso de inacessível os comentários via facebook estão funcionando perfeitamente. Eu mesma já testei!  :)

Clássicos do cinema que você TEM que assistir II

Oi!

 Passada a semana momesca-maluca-quemedeixadecabeloempé como prometi no primeiro post confira agora a segunda e última parte da série: Clássicos do cinema que você TEM que assistir. Mais cinco clássicos para completar a lista de dez filmes que marcaram a história do cinema. Prepare a pipoca e o refri e bom filme!
 


Star Wars - O império Contra Ataca                                                                
Diretor: Irvin Kershner
Ano: 1980

O filme, que é um dos cinco da sequência Star Wars, é o preferido da série porque marcou o cinema da ficção por seus efeitos especiais. A história é mais um episódio da saga de Darth Vader, Princesa Leia, Chewbacca e companhia, além de contar com Luke Skywalker em busca das lições do mestre Yoda para se transformar num cavaleiro jedi. Mas em O império Contra Ataca foi feita uma das melhores revelações de Star Wars: Luke, do time dos "bonzinhos", é filho de seu maior inimigo, Darth Vader.





O poderoso Chefão (I, II e III)                                                                              
 Diretor: Francis F. Coppola
Ano: 1972, 1974 e 1990

Conta a história de uma família tipicamente italiana que vive em Nova York. O chefe da família, Don Vito Corleone, presta "serviços" ilegais a amigos e conhecidos, em troca de favores ou dinheiro. O filme-que é uma adaptação do livro de mesmo nome (escrito pelo americano Mario Puzo)- ganhou três Oscar, e conta com as atuações de dois grandes atores: Marlon Brando e Al Pacino. Uma curiosidade é que a sequência foi quase toda gravada em locações verdadeiras, e não em cenários produzidos, o que confere mais realidade às cenas.


E o vento levou...                                                                                             
Diretor: Victor Flemming
Ano: 1939

A história de uma jovem rica e mimada que é obrigada a sair de casa e ajudar o exército de seu país, durante a guerra. Só que, quando ela volta, a fortuna se foi, a mãe morreu e o pai ficou louco. Agora, ela tem que ser forte para tentar se reerguer. Naquele momento, o cinema já fazia grandes produções, e esta faturou muita grana. E o vento levou... foi o primeiro filme colorido a ganhar um Oscar. Com todo esse investimento e um elenco de peso- Clark Gable, o mocinho, já era um dos maiores astros do cinema-, o filme chegou a totalizar nada menos que 28 horas de gravação!

               

Indiana Jones e os Caçadores da Arca                                                             
Diretor: Steven Spielberg
Ano: 1981

É o primeiro dos quatro filmes da famosa série que tem Harrison Ford no papel principal e a direção do premiado Steven Spielberg. O longa é um marco entre os filmes de ação e aventura, pela criatividade. A história é a seguinte: Indiana tem que achar a tal arca perdida, que pode lhe dar saberes incríveis, já que contém a carta com Os Dez Mandamentos de Moisés. Para isso, terá que disputá-la com o exército nazista de Hitler. Tenso, mas imperdível! Em tempo: Ao ver esse aproveite e assista os outros filmes.



Cidadão Kane                                                                                                           
Diretor: Orson Welles
Ano: 1941

Indispensável para quem quer entender como funciona a indústria do entretenimento. Por quê? Tudo começa quando o repórter decide investigar a vida de um magnata do mundo do entretenimento (Charles Foster), depois da morte do cara. O jovem jornalista começa sua busca por informações sobre o empresário e percebe que ele era viciado em fazer sucesso e obter todos os trabalhos importantes. O filme é antigo, em preto e branco, e cheio de idas e vindas. Ou seja, prepare-se para um história fora do formato começo-meio-fim. Orson tinha apenas 25 anos quando dirigiu este longa.






Clássicos do cinema que você TEM que assistir

  Com a ajuda de amigos-cinéfilos, criei uma lista dividida em duas partes (a segunda parte você confere próxima semana) de filmes clássicos e legais, que você TEM que assistir. Acredita que existem pessoas com preconceito de filme antigo? Por isso mesmo que às vezes não sabem escolher uma boa estreia. Confira as indicações e fique mais antenado(a).





Cantando na chuva                                                                                            
Diretor: Gene Kelly
Ano: 1956

Um poste, muita água e um rapaz dançante com um guarda-chuva a tiracolo: com certeza você já viu essa cena. Não é para menos. Afinal, esse é um dos filmes que marcam a passagem do cinema mudo para o falado. E é justamente esse o tema da história, que mostra um casal de atores que precisa se adaptar a uma nova forma de fazer cinema. A metalinguagem não é linda nessas horas? Isso não é fácil para a mocinha Lina Lamont (Jean Hagen), que não tem uma voz tão boa quanto seu par romântico, o galã Don Lockwood (Gene Kelly, o diretor). Ah, e sabe a cena da chuva? Ela foi regravada tantas vezes, que Gene teve febrão e gripe!




Clube da Luta                                                                                                     
Diretor: David Fincher
Ano: 1999

Foi o filme que mostrou que Brad Pitt era muito mais que o rostinho mais lindo de Hollywood, como muitos pensavam. A história é de Jack (Edward Norton), um grande empresário que decide procurar uma forma de extravasar seu cansaço. É, então, que conhece Tyler Durden (Brad Pitt), o cara que o leva para um clube onde a pessoas descarregam suas energias dando porradas uma nas outras. Apesar de violento, o filme é muito divertido, e mostra até onde podem ir os limites do ser humano. Além disso, influenciou muitos filmes do gênero, produzidos depois.




Dr. Fantástico                                                                                                     
Diretor: Stanley Kubrick
Ano: 1964

Esta obra mostra um outro lado do diretor Stanley Kubrick, que, até então, era conhecido por seus filmes racionais e, ao mesmo tempo, filosóficos. Porém, mesmo sendo uma comédia das boas, não deixa de ser polêmico, como as outras obras de Kubrick. Isso porque critica o momento político que o mundo vivia na época em que foi lançado (a guerra fria), contando a história do militar Jack Ripper, que queria bombardear a antiga União Soviética de maneira tão inconsequente que chegava a ser hilária. O longa brinca com a "fascinação" que as potências mundiais têm por guerra e armas.



A vida de Brian                                                                                                  
Diretor: Terry Jones
Ano: 1979

O grupo de comédia inglês Monte Phyton fez diversos filmes, todos muito bons. Mas este é top. Ele conta a história de um judeu, Brian Cohen (Grahan Chapman), que nasce na manjedoura ao lado de Jesus Cristo e, por isso, muitas vezes é confundido com um messias. Claro que a igreja católica foi contra o lançamento da obra, alegando que não é correto "brincar" com a história de Jesus. Mesmo assim, o filme foi lançado e, para completar, virou clássico.



Casablanca                                                                                                        
Diretor: Michael Curtiz
Ano: 1942

É uma das mais apaixonantes histórias de amor do cinema, e está em TODAS as listas de melhores filmes de todos os tempos. Prova de que nem toda produção antiga é chata. A história se passa na cidade marroquina de Casablanca, rota alternativa para militares que fugiam da pressão nazista, na Segunda Guerra. Rick Blaine, o protagonista, é dono de um bar que ajuda muitos soldados. Até o dia em que sua paixão antiga aparece lá, ao lado do marido, pedindo socorro. Quando foi gravado, o filme não teve grande investimento, e nenhuma pretensão de se tornar clássico.


Segunda parte do post -  só semana que vem.

Maquiagens para negras

Hoje conversando com a Ana* sobre maquiagem, ela me disse que a pele negra não precisa de nada para ficar bonita. A questão para mim não é ficar bonita apenas e sim ser criativa. A maquiagem está aí para extrapolar o previsível. Então, resolvi deixar a preguiça de lado e procurar por maquiagens para negras. Selecionei as que mais gostei para compartilhar com vocês, sei que do outro lado do monitor alguém pode precisar também.

Fotos: Divulgação

Que tal?


Para ouvir: Haim

 A indicação de hoje é uma banda pra lá de esquisitinha mas que faz um som bom o suficiente para não passar despercebida. Estou falando da Haim formada por três irmãs californianas: Daniele, Este e Alana. As meninas ganharam uma certa notoriedade depois de terem vencido um concurso promovido pela BBC britânica, o Sound of 2013. Esse concurso é na verdade uma pesquisa feita todos os anos, que tem uma tradição de indicar boas apostas para o cenário musical, já ganharam nas edições anteriores: 50 cent, Adele, Jessie J, Lady Gaga e Florence and the Machine.


Ainda é cedo para dizer se a Haim (pronuncia-se Háim) vai conquistar a projeção mundial dos artistas citados acima. Elas iniciaram a carreira, veja só, em 2005. Mas afinal o que essas garotas tem?  Arrisco dizer que talento, dancinha esquistosa nos clipes, letras adolescentes e uma sonoridade resgatada da década de 80.  Apesar de não serem donas de beleza comercial, são bem fotogênicas, charmosas e estilosas. O primeiro clipe que vi do trio foi o "Forever", achei tão orgânico, meio Hanson de saias e risível (as dancinhas desajeitadas). A safra foi considerada por críticos musicais como folk pop, então quem sou eu para discordar?

Top 3 Haim para você!

Forever  (Um misto de Hanson, Gagnam style com pitadinhas de Michael Jackson inspired)


Send Me


Don´t Save Me (A que mais gostei)



Quem arrisca dizer o que achou?

Dicas para... Conquistar a sogra

 Poucos momentos passei com a minha sogra mas, o que pude aprender com ela com certeza vai ficar para a posteridade. Se eu, uma garota tímida até dizer chega para situações do gênero consegui me sair bem, tenho certeza que você vai tirar de letra... com esse post então, vixee! hehehe

Lembrando que: você pode complementar o post com sua experiência, sugestionar algo que eu tenha esquecido. Os comentários estão localizados no rodapé do post! =D



Pesquise o terreno
Você, tem que saber onde vai pisar antes de "enfiar o pé na jaca"!  É legal da sua parte procurar conhecer com antecedência o perfil da sogrona. Principalmente antes de querer dar uma de boa nora. Esse detalhe faz toda a diferença e já serve para você ir preparando seu espirito para o grande encontro. hehehe

Não force a barra
Não tente puxar assunto a qualquer custo com a sogrinha. Além de soar falso vai ser chato, vai por mim. Melhor ficar quietinha do que fazer um comentário impertinente sobre o tempo, ou qualquer outra coisa nada a ver. É claro, que se a investida for dela (ela pode ser tímida) o melhor a fazer é interagir. Mas, procurando algum outro gancho para mudar o rumo da conversa.

Não leve presente
Entenda uma coisa fia: "Você é a estranha no ninho". Levar presentinho assim de cara, sem ser nenhuma data especial pega mal. Levar presente é muito puxa-saquismo e só vai fazer você passar vergonha. Evite!

Use o necessário
Se você leva o relacionamento a sério, gosta do filho dela não tem porque queimar seu filme trajando uma micro saia e um super decote. Infelizmente por mais que os tempos sejam "hipermodernos" como diz Gilles Lipovetsky,  ainda existem certas etiquetas do vestir que devem ser respeitadas. Você nesse momento não está se vestindo para o filho e sim para a sogra. Seja básica e feminina. Maquiagem com pouco brilho, ok?


Aceite a sobremesa
Recusar um prato que a sogra preparou com todo carinho do mundo especialmente para você é a pior ofensa do mundo. Mesmo que seja chatinha pra comer (tipo eu), não chegue botando banca. Exceto se: for alérgica a algo, vegetariana em terra de carnívoros, diabética entre outros. Experimente o bolo, o brigadeiro, a torta de maçã. Viu a importância de checar o perfil dela com antecedência? Se ela mandar mal na cozinha talvez no segundo convite para almoço esteja liberada para levar alguma sobremesa. Porque aí ninguém merece, né? hehehe

Seja sincera
Depois de tantas coisas para moldar o modo de se portar  você já deve estar pensando, que diabos de conselho é esse? Pois é, seja sincera mas não exagere. Você é a fofa da história! Não vale criticar o cabelo ou a decoração da casa da sogra em hipótese alguma! É muito legal expor sua opinião e ser autêntica. Só não dá para suportar alguém que discorda de tudo e adora bancar a chata.


                                                                 Algo mais a declarar...Comenta!


Aprenda a controlar seus gastos

 Eu ♥ comprar! Mas sei que gastar além do que deve é mais comum do que se imagina. Mesmo quando minha Becky bloom interior fica doida para torrar tudo nas liquidações da vida, começo a mentalizar minhas prioridades e ela se acalma. Com você não precisa ser assim. Vou dar algumas dicas para aprender a gerenciar melhor seu orçamento seja ele universitário como o meu ou não.

Quem nunca levou pra casa uma blusinha que nem gostou tanto assim por se deixar levar pelo impulso? Ou torrou toda a mesada numa semana? Ou então, recebeu o salário e deixou de pagar as contas para comprar algo que no fim das contas nem foi tão importante assim?



A principio pode parecer que essas coisas acontecem apenas com adolescentes - só que não - sei que qualquer pessoa com crédito na praça está sujeita a se endividar. Os especialistas em educação financeira garantem que, se durante a infância e a adolescência, não aprendermos a lidar com o nosso dinheiro, podemos virar adultos que sempre gastam mais do que têm, e que nunca conseguem realizar seus sonhos, porque não se organizam para isso.

A causa desses problemas tem muito a ver com a nossa vontade de consumir cada vez mais! O nosso desejo é infinito. Só que os nossos recursos, não. Por isso, é preciso escolher o que realmente queremos e abrir mão das outras coisas.

Guarde para comprar à vista 
Como as lojas dividem tudo em pelo menos 12 parcelas sem juros, a gente acaba se empolgando, achando que tudo sai "baratinho". Mas, se você quer ficar no lucro, ponha na ponta do lápis o valor do pagamento à vista e a prazo e compare. Vai ver como vale a pena a primeira opção.

Tome cuidado com o cartão de crédito
Segundo uma das pesquisas reunidas no livro Você sabe Lidar com seu dinheiro?, de Marília Cardoso e Luciano Gissi (Artemeios), cerca de 28% dos jovens entre 12 e 17 anos usam cartão de crédito e 50,4% dos gastos com ele acontecem em lojas virtuais. A facilidade de comprar e pagar sem sair de casa entusiasma. Mas todo cuidado é pouco. Nunca devemos usar o cartão para comprar algo que não sabemos como vamos pagar.  Só usar quanto tiver certeza que pode saldar a dívida. Outra dica: pague na data de vencimento, para não se dar mal com os juros.

Garanta um extra, não é tão dificil quanto parece
Muitas empresas, especialmente na época de fim de ano, reforçam sua equipe, contratando funcionários temporários. Em lojas de shopping, por exemplo, isso é mais que comum. Por que não dar uma passadinha para perguntar como será o processo seletivo e se inscrever? E já pensou que ninguém mais tem tempo para levar os bichinhos para passear? Aí entra você, usando seu tempo livre e ainda lucrando. Busque as chances e faça dinheiro!

Criatividade para economizar
Crie situações, com os amigos e com a família, em que o dinheiro não seja fundamental. Em vez de ir ao cinema, tire uma horas para jogar vôlei no parque. Em vez de balada, marque uma noite de pizza na sua casa e cobre uma quantia definida de cada amigo. Em vez de comprar roupa nova, customize o que tem, com a ajuda daquela tia que a-d-o-r-a costurar. Que tal ir à um brechó de qualidade da sua cidade? Ás vezes se encontra coisas muito boas por lá Experimente essas mudanças de atitude e vai se surpreender com a economia que fará no fim do mês! Já escrevi sobre isso AQUI .


E você, sabe resistir a tentação de comprar?

Para ouvir: Clarice Falcão

Oie! 
É com grande alegria que venho estrear uma nova tag no blog, a para ouvir. Nela pretendo trazer indicações musicais todas as segundonas. E não precisa ser necessariamente algo incensado nas mídias, não.  ^_^

A indicação de hoje nasceu no Recife mas vive no Rio de Janeiro por conta da profissão. Ela é atriz, cantora, roteirista e já vem bombando nas redes sociais há um tempinho. Já foi chamada de " Zoey Deschannel brasileira". Se bem observado o talento, carisma, a voz doce e olhos azuis enormes a comparação é válida, vai! Apesar de dizer que o que alçou o sucesso da Clarice foram as redes sociais, descobri a canção Monomania quando estava no ônibus voltando da faculdade para casa. Gostei e jurava que era da Mallu Magalhães. Sabe o que é?  Tenho a mania de pensar que toda música dengosinha demais é dela. kkk


O currículo da Clarice inclui papel em novela das oito, filme e especial para a tv. Numa entrevista para a revista Gloss deste mês, ela disse que já está preparando o lançamento de seu EP, o que pareceu ser o nome do cd.
A quem interessar possa: Várias músicas da dona Zoey ops! Clarice estão disponíveis no youtube e Itunes.

A performance da moça é um dos pontos altos dos vídeos, não sei vocês mas, eu ri horrores com as caras e bocas dela nos clipes. Ela consegue ter cara de legal e psico ao mesmo tempo, reparem. Fora as letras das músicas que ora são engraçadas, ora fofas e tensas. Se você gosta do estilo folk romântico, Mallu Magalhães e companhia vale a pena conferir o top 3 que selecionei e depois dar sua opinião nos comentários.

1 - Monomania (minha preferida)

2-  De todos os loucos (Para quem está apaixonado)

3- Macaé (Ela assume que é psico! hehe)

Clarice promete ou não? Dê a sua opinião!

Webmania: Wallpapers fofos para o seu desktop

Olá, fias e fios!

Nossa faz muito tempo que não posto nada dessa tag aqui no blog, não é mesmo? Pois é para não perder a tradição selecionei papeis de parede minimalistas e suuuuper fofos para você estilizar a sua área de trabalho. Eu não sei vocês mas eu não fico muito tempo com o mesmo background no desktop do pc. Confira a seleção (clique na miniatura e salve no seu computador) logo abaixo e, não esqueça de me dizer o que achou nos comentários.




E a propósito nesse momento estou usando o de Girafa!

Quando um livro é considerado clássico?

Quando ele ultrapassa as fronteiras do espaço ( ou seja, é traduzido para várias línguas e conquista leitores do mundo inteiro) e do tempo (é escrito em outra época e continua a ser lido nos dias atuais, ganhando várias edições). Mas aí alguém poderia falar que então, todos os best-sellers ganham o título de clássico porque o número de exemplares vendidos é somente um dos critérios avaliados para isso. Só que não!



Quem dá a palavra final nessa análise é um grupo de acadêmicos, (cri)críticos literários e escritores, que, durante anos, estudam a estrutura e o conteúdo do livro. Depois, eles decidem se aquela obra pode ou não ser chamada de "cânone literário" -  como são conhecidos os livros consagrados e imortalizados como clássicos. Cursei uma disciplina na universidade que se chamava "Cânone literário brasileiro" e essa discussão acontecia praticamente em TODAS AS AULAS.

Agora apresento algumas obras e a contribuição delas para a cultura brasileira... Confere comigo!

O Cortiço (1890)
Um dos meus livros prediletos quando se trata de literatura tupiniquim! Sei que não vão se lembrar mas já rolou até layout com livros no topo por aqui e ele estava lá. hehe

Escrito por Aluísio Azevedo o livro trata do dia-dia de um cortiço erguido à base de furtos na calada da noite e que ao mesmo tempo que é espaço, em alguns momentos é quase um personagem. A personagem central da trama é João Romão um comerciante que só pensa em ganhar dinheiro. Para conquistar seus objetivos, ele se aproveita (das formas mais inescrupulosas) de sua amante, a escrava Bertoleza.

Nas entrelinhas: é uma análise da mudança no comportamento das pessoas com o avanço da industrialização e do contraste social a partir daí. A mulher, antes super idealizada, dá lugar à mulher real do século 19. Mas vale ressaltar ela ainda não é apresentada como ser autônomo, dona de seu nariz.  Para as femininistas mais inflamadas um prato cheio para questionar os direitos subtraídos da mulher. Ou não.



Dom Casmurro (1899)
Não é um dos meus prediletos pelo modo que termina. Aquela dúvida maldita, será que Capitu chifrou Bentinho? Se julgarmos a capa do livro lançado pela editora Ática (eles sabem como estragar toda uma expectativa), a traição rolou veja aqui e tire sua conclusão. Preciso mesmo dizer que foi escrita por Machadinho de Assis? (Olha a minha intimidade! rs). O enredo é o seguinte: Bentinho se casa com a vizinha de porta olhos de ressaca aka Capitu e os dois tem um filho. Mas, atormentado pelo ciúme, ele "desconfia" que o moleque é, na verdade, filho de outro homem. Ele se separa da mulher e escreve um livro sobre sua vida. Fala a verdade é muita dor de cotovelo para uma pessoa só! Pobre Bentinho, pobre Capitu legados ao atraso do tempo.

Nas entrelinhas: é uma discussão sobre o comportamento social e uma análise (ácida como só Machado de Asis sabe fazer) da burguesia brasileira. Capitu é uma mulher mais moderna e menos idealizada. No fim, resta a dúvida sobre sua traição. E aí para vocês, rolou ou não? 

Vocês iriam gostar de ver mais posts sobre livros aqui, tipo resenhas, indicações?  Falem nos comentários.