Vinte e um

 Ontem (25/04) foi o meu aniversário e não tem jeito todo ano sempre fico ansiosa. O dia começou normal, alguns telefonemas de familiares, fui assistir as minhas aulas na ufba (caxias! rs) e quando voltei pra casa me preparei para a noite receber os amigos. Adoro estar com meus amigos, mesmo que eles cheguem cerca de três horas depois do horário combinado na minha casa. 


Foi uma noite bem animada, dancei forró, comi doce e pizza (amo!), conheci novas pessoas, dei muitas risadas com as palhaçadas. Fui dormir super tarde mas valeu a pena! Meus vinte e um anos começou melhor do que eu imaginei.

Update: Algumas blogueiras amigas (Jess, Aline, Loma e a mãe do Ryan, dona Kakau) mandaram os parabéns pelo face, obrigada meninas!

A revolução dos bichos (George Orwell)


Sinopse: Num belo dia, os animais da fazenda do sr. Jones se dão conta da vida indigna a que são submetidos: eles se matam de trabalhar para os homens, lhes dão todas as suas energias em troca de uma ração miserável, para ao final serem abatidos sem piedade. Liderados por um grupo de porcos, os bichos então expulsam o fazendeiro de sua propriedade e pretendem fazer dela um Estado em que todos serão iguais. Logo começam as disputas internas, as perseguições e a exploração do bicho pelo bicho, que farão da granja um arremedo grotesco da sociedade humana. Publicada em 1945, A Revolução dos Bichos foi imediatamente interpretada como uma fábula satírica sobre os descaminhos da Revolução Russa, chegando a ter sido utilizada pela propaganda anticomunista .A novela de George Orwell de fato fazia uma dura crítica ao totalitarismo soviético; mas seu sentido transcende amplamente o contexto do regime stalinista. Mais do que nunca esta pequena obra-prima da ficção inglesa parece falar aos nossos dias, quando a concentração de poder e de riquezas, a manipulação da informação e as desigualdades sociais parecem atingir um ápice histórico. Via: Folha de São Paulo
Desde meu ensino médio me recomendaram este livro junto com vários títulos consagrados por meio de uma lista que dizia: Os melhores livros para se ler antes dos dezoito anos. Entretanto como deve imaginar alguns anos depois dos dezoito (mais madura e consciente), quero dizer mês passado tive a oportunidade de compra-lo e assim o fiz.  Li em três dias  as cento e quarenta e sete páginas. Foi ótimo pude conhecer melhor o autor, George Orwell - pseudônimo para Eric Arthur Blair. Já tinha lido 1984 e gamado imaginei que com o "A revolução dos bichos" não fosse gamar tanto. Basicamente o livro trata sobre o socialismo x totalitarismo. E chega um momento da narrativa que fica pesado, a leitura cansa e você fica com vontade de largar seu exemplar num canto qualquer da casa.


 Achei Orwell exageradamente pessimista e radical. Se bem que ao tratar de posicionamento político não existe um meio termo. Ou você é ou não é e fim de papo.  Quer dizer dá pra discutir por horas a respeito, principalmente se você for de humanas. Enfim um ótimo livro para refletir de como nós somos explorados e via de regra muitas vezes massa de manobra para governos, associações, seitas. O mais estranho é que consigo perceber em certas animações infanto-juvenis inspirações do livro. Recomendo! Porque para ler basta querer, quem quiser meu exemplar emprestado basta falar (Viu dona Liliam e  dona Claudia?). Ficarei muito feliz em fazer meu livro circular nas mãos dos amigos e poder discutir minhas partes prediletas.


Xoxo