Alguém me explica: Novo acordo ortográfico

quarta-feira, agosto 10, 2011

  Estava observando o blog e achando que faltava alguma coisa. Achava que o problema estava no design da página (esse foi o motivo de ter trocado inúmeras vezes de layout), então trocava o lay mas a sensação continuava. Outro dia reparei que apesar de estar cursando letras não posto nada em relação a minha área. hehehe
  Pra acabar com este sentimento de culpa vou tentar esclarecer o que aconteceu com a gramática depois do novo acordo ortográfico. Quero ver todo mundo fazendo bonito na hora de escrever tá? XD

Porque o acordo? Já está em vigor no Brasil?

O acordo foi feito no intuito de unificar a grafia em países lusófonos, ou seja, que têm a língua portuguesa como língua oficial. Entrou em vigor em Janeiro de 2009. Entretanto, nós brasileiros temos dois anos para aderir às novas regrinhas. Portanto, se você ainda não escreve com a nova grafia não fique encucada (o) se sentido burra (o).  Tanto a grafia antiga quanto a nova serão aceitas até 1 de janeiro de 2013 (data em que a grafia prevista no novo acordo será considerada a correta).

O que mudou na língua com este acordo?? 



Hífen                                                                                                                                           
O "tracinho" vai deixar de existir em dois casos:  
  1. quando a segunda palavra começar com "s" ou "r", ai essas letras serão duplicadas. Exemplo:  anti-semita passa a ser antissemita, contra-regra muda para contrarregra e infra-som para infrassom.
    Exceção: Esta regra não vale para prefixos terminados em "r", portanto, em palavras como super-resistente, o hífen permanece.

  2. o prefixo e a palavra subsequente terminam em vogal. A nova regra só não se aplica ao prefixo "co" (que normalmente se aglutina à palavra que se prossegue a ele). Exemplo: autoescola e aeroespacial.                                                                                                                



Trema                                                                                                                                        
 É com pesar que digo: O trema vai deixar de existir na língua portuguesa. Contudo a pronúncia não muda. 
Exemplo:  freqüente passa a ser escrito como frequente.

Alfabeto                                                                                                                                    
 Vai passar a ter 26 letras, incorporando "k", "w" e "y". Aleluia! 


Acentuação                                                                                                                               
Quando falamos de acento, pode se preparar que tem muita mudança. Olha só:


  1. o acento diferencial não será mais usado. Exemplos: o acento agudo no verbo flexionado pára não será mais usado para diferencia-lo da preposição para. Isso também inclui os substantivos compostos pára-brisa, pára-raios e pára-choque. O mesmo acontece com péla ( do verbo pelar), pólo (substantivo), pêlo (substantivo) e pêra (substantivo). Nesses casos, caem todos os acentos, pessoal.

  2. o acento circunflexo some em dois casos: nas terceiras pessoas do plural do presente do indicativo ou subjuntivo dos verbo crer, dar, ler, ver e seus derivados (como reler, antever etc). Exemplos:  crêem passa a ser escrito creem, dêem ficará deem, e assim por diante.

  3. em palavras terminadas com o hiato "oo". Exemplos: vôo fica voo e enjôo, enjoo. 
  1. O acento agudo também deixará de ser usado em três situações: em ditongos abertos "ei" e "oi" de paroxítonas.  Exemplos: assembléia, heróico e bóia passam a ser escritos como assembleia, heroico e boia.

  2. nas palavras paroxítonas com "i" e "u" tônicos antes de um ditongo. Exemplos: feiúra passa a ser escrito como feiura. nas formas verbais com "u" tônico antes das consoantes "g" e "q" e depois das vogais "e" e "i". Exemplos: averigúe e apazigúe devem passar a ser escritas como averigue e apazigue.

Leia também

0 comentários