Desespero

quinta-feira, março 18, 2010


Não há nada mais triste do que o grito de um
trem no silêncio noturno. É a queixa de um estranho
animal perdido. Único sobrevivente de alguma
espécie extinta, e que corre, corre.
desesperado, noite em fora, como para escapar
à sua orfandade e solidão de monstro.

Mário Quintana

Leia também

1 comentários